Buscar Notícias
22/01/2013 Próximo líder do Eurogrupo quer “continuar a restaurar a confiança” na moeda única

O ministro holandês das Finanças, Jeroen Dijsselbloem, que deverá suceder a Jean-Claude Juncker na presidência do Eurogrupo, disse nesta segunda-feira em Bruxelas que a sua “principal tarefa” será “continuar a restaurar a confiança no euro”.

Dijsselbloem, que falava à entrada para a reunião dos ministros das Finanças da zona euro onde deverá ser eleito o presidente do Eurogrupo, explicou que apresentará durante o encontro a sua visão da agenda do fórum dos ministros das Finanças da moeda única, acrescentando que espera obter um “consenso” sobre a questão para “poder começar a trabalhar imediatamente”.

“Vou falar com os meus colegas do que devemos fazer ao longo dos próximos anos, segundo a minha visão, e espero que eles me concedam a sua confiança”, acrescentou o ministro holandês, que é o único candidato à presidência do Eurogrupo.

“Continuar a restabelecer a confiança no euro e na zona euro é a principal tarefa”, disse ainda Dijsselbloem.

Também à entrada para a reunião, o presidente cessante do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, disse não acreditar que existam obstáculos à escolha do holandês Jeoren Dijsselbloem como seu sucessor na liderança do fórum dos ministros das Finanças da zona euro.

Dijsselbloem, de 46 anos, pertence ao Partido Trabalhista e é descrito no seu país-Natal como um “estratega” e um “bom mediador”.

Além da designação do novo líder do Eurogrupo, a primeira reunião de 2013 dos países do euro será marcada pela análise da situação em diversos Estados-membros, designadamente aqueles com programas em curso, não sendo ainda de esperar uma decisão sobre a ajuda a Chipre – o único caso actualmente pendente –, pois o estudo das necessidades financeiras do sector bancário ainda não está concluído. Portugal está representado na reunião do Eurogrupo pelo ministro das Finanças, Vítor Gaspar.